Tudo que Você prescisar Saber Sobre Ioimbina

Tudo que Você prescisar Saber Sobre  Ioimbina

A ioimbina é outro suplemento da classe dos estimulantes e termogênicos que realmente funciona e vale a pena investir. A ioimbina agirá na gordura “teimosa”, aquela mais difícil de queimar, que demora mais para sair. Por isso, ela é recomendada no final de uma fase de perda de peso. Não há necessidade em usá-la logo no começo, ou em fases de ganho ou manutenção de peso, pense nela como um “coringa”, aquela carta na manga. Antes de falar sobre a ioimbina, deixe-me explicar um pouco sobre os adrenoreceptores. No tecido adiposo temos uma combinação de receptores alfa e receptores beta.
Imagina que os receptores beta sejam o acelerador do carro (que neste caso é o seu corpo), então os agonistas desse receptor (compostos que se ligam e ativam o receptor) irão aumentar o batimento cardíaco, pressão sanguínea e a lipólise. Já os receptores alfa agem como o freio do corpo. Quando ativados, eles diminuem o batimento cardíaco, diminuem a pressão sanguínea e inibem a lipólise. Então, do ponto de vista de queima de gordura, os receptores beta são bons enquanto os alfa são ruins. Assim, existem duas abordagens para aumentar a queima de gordura. 
A primeira seria pela ativação dos receptores beta (como o caso da efedrina), e a segunda seria pela inibição do receptor alfa. A gordura “teimosa” geralmente terá uma quantidade maior de receptores alfa e pelo fato de que os mesmos hormônios podem se ligar a ambos receptores beta e alfa, o aumento de catecolaminas por exemplo, pode não ter o efeito esperado. E é aqui que entra a ioimbina. A ioimbina age bloqueando os receptores alfa-2, facilitando a mobilização dessa gordura teimosa. O problema é que ela deve ser usada em jejum, estudos mostraram que seus efeitos em um estado alimentado foram completamente reprimidos . Isso pode ter acontecido devido ao fato de a insulina inibir a lipólise e promover a lipogênese. Outro 73 benefício da ioimbina é de manter a produção de noradrenalina elevada, que normalmente sofre uma diminuição durante dietas de perda de peso. Este suplemento é tirado da casca de uma árvore africana, e existem dois tipos no mercado: a versão de ervas e a versão sintética (HCL) A versão de ervas não é recomendada por ter outros químicos contidos na casca dessa árvore que podem causar efeitos colaterais indesejados. A versão sintética é a mais recomendada, e também mais concentrada. De qualquer forma, muitas empresas colocam a versão de ervas em seus suplementos termogênicos, geralmente no rótulo você verá “yohimbine hcl” ou “yohimbine (bark)”, evite a “bark”. É importante notar que esse suplemento pode causar uma leve retenção e é importante descontinuar a suplementação antes de uma competição para eliminar o excesso de água. A ioimbina entrou no mercado para tratar disfunção erétil e muitas marcas de suplementos dizem que ela aumenta os níveis de testosterona, o que não é verdade [153]. Por ser um estimulante muitas pessoas têm efeitos colaterais indesejados, se você é sensível a cafeína ou outros estimulantes comece com uma dosagem baixa e descubra sua tolerância. A dosagem ideal da ioimbina é de 0,2 mg/kg e seus efeitos são elevados quando combinados com a cafeína (cerca de 200mg). Tenha em mente que nos EUA o limite de ioimbina por cápsula é de 2,5mg e por isso você precisará ingerir muitas cápsulas de uma vez e consumirá o pote bem rápido (um sujeito de 80kg precisará ingerir cerca de 7 cápsulas por vez). E vale ressaltar também que no Brasil a ioimbina não pode ser comercializada na forma de suplementos, mas pode ser encontrada em farmácias de manipulação e pode ser manipulada com valores desejados pelo cliente.

Texto retirado do ebook Manual dos Suplementos por Caio Bottura

0 Comentários